Durante este ano, assinalarei aqui acontecimentos importantes do reinado de Dom Dinis, à medida que forem acontecendo os respetivos aniversários, assim como transcreverei excertos do meu romance sobre o Rei Lavrador.

04
Dez 16

Afonso III.jpg

 

 

 

Dom Afonso III na Viagem Medieval de Santa Maria da Feira 2015

 

 

Em Dezembro de 1245, Dom Afonso Conde de Bolonha desembarcou em Lisboa, a fim de tomar conta do reino, caído em desordem sob a regência de seu irmão Dom Sancho II. Dom Afonso, que vivia em França há vários anos, satisfazia assim o pedido de uma delegação portuguesa que se deslocara a Paris em busca de ajuda. Possuía o apoio dos concelhos do Centro e do Sul e dos castelos de Santarém, Alenquer, Torres Novas, Tomar e Alcobaça.

 

Seguiu-se uma guerra civil, que acabou com a deposição de Dom Sancho II.

 

Dom Afonso, o terceiro desse nome, seria o pai de Dom Dinis. O seu irmão Sancho morreu no exílio, em Toledo, a 4 de Janeiro de 1248.

 

Sancho II.jpg

 

 

 

 

 

Dom Sancho II

 

 

 

 

 

 

O meu romance sobre Dom Dinis está à venda sob a forma de ebook, por exemplo, na LeYa Online, na Wook, na Kobo e na Amazon (pagamento em euros); Amazon (pagamento em dólares).

 

No Brasil, está disponível na Livraria Saraiva e na Livraria Cultura.

Para adquirir a versão em papel, contacte-me através do email andancas@t-online.de.

 

 

 

publicado por Cristina Torrão às 10:54

06
Set 16

Cover neu3 Dom Dinis 100.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em Portugal viviam-se, à altura, tempos agitados, com Sancho II a não conseguir evitar o caos provocado por contestações da nobreza e do clero. A situação atingira tal ponto, que altos dignitários do clero português se haviam apresentado em França ao pai de Dinis, vendo-o como única solução para restabelecer a ordem. Lograram obter o apoio do papa Inocêncio IV, que, numa bula, declarou Sancho II rex inutilis. Estava traçado o caminho que haveria de levar Afonso III ao trono, depois de uma guerra civil que culminou com a morte do irmão no exílio, em Toledo.

 

A 6 de Setembro de 1245, uma delegação portuguesa jurou, em Paris, obediência ao conde de Bolonha, futuro rei Dom Afonso III, pai de Dom Dinis.

 

Na verdade, o pai de Dom Dinis não estava destinado a ser rei, pois era mais novo do que o irmão Sancho. Porém, durante o reinado de Dom Sancho II, instalou-se a confusão no reino e a delegação que se dirigiu a Paris exigia justiça e a imposição da ordem, apelando ao irmão do monarca. A 24 de Julho, o papa Inocêncio IV emitiu a bula de deposição de Sancho II, Grandi non immerito, em que o soberano foi considerado rex inutilis.

 

O futuro Dom Afonso III jurou respeitar as liberdades da igreja, mas, na verdade, envolveu-se numa série de conflitos com o clero, foi inclusive acusado de adultério e incesto ao casar-se com Dona Beatriz de Castela. A situação culminou com o interdito em Portugal, lançado por Alexandre IV em Maio de 1255.

 

Dom Dinis Papel (1).JPG

 

 

O meu romance sobre Dom Dinis está à venda sob a forma de ebook, por exemplo, na LeYa Online, na Wook, na Kobo e na Amazon (pagamento em euros); Amazon (pagamento em dólares).

 

No Brasil, está disponível na Livraria Saraiva e na Livraria Cultura.

 

Para adquirir a versão em papel, contacte-me através do email andancas@t-online.de.

 

 

publicado por Cristina Torrão às 10:46

04
Jan 16

Vila_Real_brasão.gif

 

 

 

Wikipedia

 

 

 

 

 

 

Faz 727 anos que Dom Dinis fundou a Vila Real (hoje, cidade), logo lhe concedendo foral. Na medieval terra de Panóias, existia uma outra cidade, Constantim, que acabou por decair. O pai de Dom Dinis, Dom Afonso III, tentou desenvolver a região, concedendo foral e direitos reais sobre a terra de Panóias, mas o povoamento não se deu. Dom Dinis empenhou-se em renovar o malogrado plano, e fundou aquela que se tornaria uma grande cidade.

Vila Real.jpg

 

 

 

Vila Real

 

 

 

À altura da sua fundação, Vila Real foi doada a Dona Isabel.

 

Hoje verifica-se igualmente o 768º aniversário da morte do rei Dom Sancho II, tio de Dom Dinis, no seu exílio em Toledo.

Sancho II.jpg

 

 

 

Dom Sancho II

 

 

 

 

Incapaz de impor a ordem no reino, Sancho II foi afastado do trono pelo seu irmão mais novo Afonso. O caos que se verificava em Portugal levou uma delegação portuguesa a França, onde vivia o infante Dom Afonso, feito conde de Bolonha, por casamento com Matilde de Bolonha. A delegação portuguesa, composta de clérigos e nobres, foi pedir ao conde de Bolonha que intercedesse na situação portuguesa, exigindo justiça e a imposição da ordem no reino. Jurou-lhe obediência, em Paris, a 6 Setembro de 1245, depois de, a 24 de Julho, o papa Inocêncio IV ter emitido a bula Grandi non immerito, que ditara a deposição de Sancho II, aí considerado rex inutilis.

Afonso III.jpg

 

 

Dom Afonso III, na Viagem Medieval da Terra de Santa Maria 2015

 

 

 

O futuro rei Dom Afonso III jurou respeitar as liberdades da Igreja, mas, durante o seu reinado, envolveu-se numa série de conflitos com o clero, que culminaram com o interdito em Portugal, lançado pelo papa Alexandre IV em Maio de 1255. Este papa também acusou Afonso III de adultério e incesto, numa bula de Abril de 1258, exigindo a restituição do dote a Matilde de Bolonha, a consorte ignorada pelo rei português, que casara entretanto com Beatriz de Castela, filha de Afonso X o Sábio. A situação era complicada, mas Matilde acabou por morrer ainda nesse ano de 1258.

publicado por Cristina Torrão às 15:04

Andanças Medievais
O meu outro blogue Andanças Medievais A minha página no Facebook Andanças Medievais
Informação
As minhas informações sobre Dom Dinis são baseadas na biografia escrita pelo Professor José Augusto de Sotto Mayor Pizarro (Temas e Debates 2008)
Dezembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


pesquisar
 
Viagem Medieval
O reinado de Dom Dinis é o tema da próxima Viagem Medieval em Terra de Santa Maria
mais sobre mim
Vamos salvar o túmulo do rei D. Dinis
Uma página do Facebook que alerta para a necessidade de se restaurar o túmulo de Dom Dinis no mosteiro de Odivelas.
História
Em todos os momentos da História, seja na Antiguidade, na Idade Média, ou no nosso tempo, são as mesmas paixões e os mesmos desígnios que inspiram os humanos. Entender a História é entender melhor a natureza humana.
«O passado dos homens não foi só a sua vida pública. Foi também o jogo ou a luta de cada dia e aquilo em que eles acreditaram», Prof. José Mattoso
Que a História também dos fracos reze!
Não há História verdadeira sem a versão dos vencidos.
blogs SAPO